Publicações Recentes

O microcrédito no Espírito Santo

27 de maio de 2010 / /

A matéria abaixo, a retirei do site JusBrasil. O título e o conteúdo estão um pouco exagerados, obviamente, mas é normal que coisas assim aconteçam em períodos pré-eleitorais. Já escrevi aqui no Blog artigos sobre o problema dos modelos de programas de microcrédito conduzidos diretamente sob a orientação dos governos e seu uso em períodos eleitorais.

O que me chamou a atenção no texto foi a informação de que o MTE teria indicado o modelo do microcrédito do Bandes e do governo capixaba para a apresentação do PNMPO.

Possivelmente tratou-se de equívoco de interpretação, uma vez que o modelo do PNMPO baseia-se no conceito do estímulo ao surgimento de uma rede autônoma de operadoras de microcrédito. Segundo a proposta do PNMPO, importa fomentar a formação de um mercado de crédito adaptado às necessidades da economia local, valorizando a multiplicidade de iniciativas. Parte-se da premissa de que instituições locais autônomas, formadas por líderes da própria comunidade, tenham maior interesse e capacidade para construir alianças e convergência com outros atores da comunidade, impelindo arranjos mais adaptados ao desenvolvimento local.

Lembro-me, além disso, de uma visita que recebi de um representante da Secretária do Trabalho capixaba, no ano de 2009, quando ainda estava integrando a equipe do PNMPO, que relatava a dificuldade de adequar o programa estadual às demandas da economia solidária.

Em síntese, não existem “referências” nacionais que possam ser apresentadas como ideais. Existem experiências e modelos, cada uma com sua valia e cada modelo com suas vantagens e desvantagens.

Microcrédito capixaba se torna referência nacional
Extraído de: Governo do Estado do Espirito Santo – 11 horas atrás

Com R$ 130 milhões investidos na economia capixaba e mais de 20 mil clientes atendidos ao longo de sete anos de funcionamento, o Programa Nossocrédito se consolida como referência nacional em microcrédito. Desta segunda (24) até a quarta-feira (26), o Espírito Santo recebe representantes de agências de fomento de sete estados em uma visita técnica para conhecer o modelo capixaba.

Já na quinta-feira (27), é o diretor-presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), José Antonio Bof Buffon, que vai a Salvador, na Bahia, para apresentar, às 17 horas, o Nossocrédito durante o XI Congresso Brasileiro de Municípios, promovido pelo Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado (PNMPO), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que reunirá representantes de mais de 1,5 mil municípios brasileiros.

O Programa é uma ferramenta de alavancagem que potencializa empreendimentos e resulta na geração de emprego, renda e cidadania. Em suma, desenvolvimento econômico e social, acrescenta o diretor-presidente.

Condições acessíveis

O Nossocrédito tem uma das menores taxas de juros do País, de 0,7% ao mês, e uma rede de atendimento com unidades em todos os municípios capixabas, o que o torna acessível aos empreendedores autônomos ou que atuam em pequenos negócios com renda bruta anual de até R$ 240 mil.

Outro fator de sucesso do Programa é o processo desburocratizado: a documentação exigida para obter os financiamentos é simplificada e para obter o crédito, basta, além da renda inferior a R$ 240 mil, que o interessado esteja produzindo no município há mais de seis meses, resida há mais de dois anos na cidade, em endereço fixo, ou tenha seu negócio estabelecido há mais de dois anos no local; o nome limpo no Serasa e no SPC e apresente avalista.

Os resultados alcançados pelo Nossocrédito em todo o Estado são atribuídos, ainda segundo o diretor-presidente, à metodologia que permite que o Programa opere com as condições de financiamento (juros, prazo, documentação exigida) acessíveis e um modelo de gestão que funciona por meio de uma parceria entre o Bandes, o Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes), o SEBRAE/ES, a Secretaria de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades) e as prefeituras.

Desenvolvimento regional

Os financiamentos do Nossocrédito proporcionam o aumento da renda familiar, a criação e a manutenção de postos de trabalho e a circulação de recursos financeiros dentro dos próprios municípios dos clientes atendidos, dinamizando o comércio e o setor de serviços das economias locais.

Uma das maiores contribuições do Programa é dar suporte financeiro à capacidade empreendedora das pessoas. Por meio do crédito produtivo estruturado, o Nossocrédito possibilita a criação de um ciclo virtuoso e dinâmico, no qual a combinação de crédito adequado e capacidade empreendedora promovem a geração de riqueza, o desenvolvimento de pessoas, de empresas, da cidade e de regiões, especialmente no interior do Espírito Santo, destacou José Antonio Bof Buffon.

Fonte: http://www.jusbrasil.com.br/politica/4862950/microcredito-capixaba-se-torna-referencia-nacional